Biografia

Minha foto

  • Formação: Tecnólogo em Segurança do Trabalho - UNISA - Universidade de Santo Amaro, Técnico em Segurança do Trabalho - Carneiro do Vale, Gestor Ambiental com Ênfase em Recursos Hídricos - Faculdade São Luiz de França.
  • Experiências Profissionais: Consultor em SST – MALG Consultoria - Paulo Afonso - BA

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

M.M CONSULTORIA ESPECIALIZADA EM SEGURANÇA DO TRABALHO



Empresa M.M Consultoria Especializada em Segurança do Trabalho e treinamentos foi fundada em 2012, e está localizada em Paulo Afonso – BA. Tendo em vista a necessidade das empresas/organizações em atender e se adequar corretamente as legislações voltadas para a saúde e segurança no trabalho, tornando-se assim um diferencial para elas.

Com a finalidade de buscar melhor atendimento e esclarecimentos aos clientes sobre normas regulame ntadoras, segurança do trabalho e treinamentos, a M.M Consultoria Especializada em Segurança do Trabalho visa a melhoria contínua das empresas/organizações, primando pela saúde e segurança dos seus colaboradores.

Serviços:

-Consultoria com visita mensal técnica na empresa;
-Palestras e Treinamentos das NR – Normas regulamentadoras;
-Formação da CIPA – Comissão Interna de Prevenção de acidente;
-SIPAT- Semana interna de prevenção de Acidente;
-Programas/Laudos: PPRA, PCMSO, PGSSMATR, LTCAT, PGRSL, PGR e MAPA DE RISCO;
-Organização dos documentos da Segurança do Trabalho na empresa.

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

MTE ATUALIZA CADASTRO DE EMPREGADORES QUE EXPLORARAM MÃO-DE-OBRA ANÁLOGA À ESCRAVA


Documento traz 118 nomes de Pessoas Físicas e Jurídicas que cometeram infrações contra trabalhadores. Lista passa a conter 398 nomes

Brasilia, 31/07/2012 - O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) atualizou, nesta terça-feira, o Cadastro de Empregadores flagrados explorando mão-de-obra análoga à escrava no país. O Cadastro teve 118 inclusões e passa a conter 398 infratores, entre pessoas físicas e jurídicas. Apenas nove empregadores comprovaram os requisitos para a exclusão.

Os procedimentos de inclusão e exclusão são determinados pela Portaria Interministerial nº 2/2011, que estabelece a inclusão do nome do infrator no Cadastro após decisão administrativa final relativa ao auto de infração, lavrado em decorrência de ação fiscal, em que tenha havido a identificação de trabalhadores submetidos a trabalho análogo ao de escravo. Desde julho de 2005, transitaram pelo Cadastro, 631 nomes, tanto de pessoa física quanto de jurídica, seja de atuação no meio rural, como no urbano.

Ao ser inserido no Cadastro, o infrator fica impedido de obter empréstimos em bancos oficiais do governo e também entra para a lista das empresas pertencentes à "cadeia produtiva do trabalho escravo no Brasil". O documento é utilizado pelas indústrias, varejo e exportadores para a aplicação de restrições e não permitir a comercialização dos produtos advindos do uso ilegal de trabalhadores.

A lista passa por atualizações maiores a cada seis meses. Os nomes são mantidos por dois anos e, caso o empregador não volte a cometer o delito e tenha pago todas as multas, o registro é excluído. A inclusão do nome no Cadastro ocorre após decisão administrativa relativa ao auto de infração, lavrado em decorrência de ação fiscal, em que tenha havido a identificação de trabalhadores submetidos a trabalho análogo ao de escravo.

Assessoria de Comunicação Social MTE

(61) 3317-6537/2430 acs@mte.gov.br

EVENTO CELEBRA QUATRO DÉCADAS DO SESMT

 
São Paulo/SP- Com o objetivo de homenagear os profissionais que atuam com dedicação no Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho, foi realizada, dia 27 de julho, a Grande Comemoração dos 40 anos do SESMT. O evento resultou de parceria entre Sindicato dos Técnicos de Segurança do Trabalho no Estado de São Paulo (Sintesp), Associação Nacional de Enfermagem do Trabalho (ANENT), Associação Nacional de Medicina do Trabalho (ANAMT), Associação Brasileira dos Profissionais de Segurança e Saúde no Trabalho e do Meio Ambiente (ABRAPHISET) e Associação Paulista de Engenheiros de Segurança do Trabalho (APAEST).

A celebração reuniu aproximadamente 130 profissionais - entre técnicos de segurança, engenheiros de segurança, médicos do trabalho, enfermeiros do trabalho, técnicos de enfermagem e auxiliares de enfermagem do trabalho - no auditório do Sindicato das Indústrias Construção Civil de São Paulo (Sinduscon-SP).Abrindo a entrega de placas e homenagem a profissionais reconhecidos na atuação no SESMT, o vice-presidente de Relações Capital-Trabalho do Sinduscon-SP, Haruo Ishikawa, disse que a maneira de fazer SST no Brasil melhorou, mas que ainda é realizada de "forma artesanal", o que deve ser modificado a fim de expandir as ações de prevenção.

"É preciso que os profissionais tenham uma visão mais sistêmica do Serviço, de colaboração entre si" afirmou Leonídio Francisco Ribeiro Filho diretor cientifico da ABRAPHISET, durante a palestra "Histórico do SESMT: passado, presente e perspectivas para o futuro do serviço". O evento também contou com a apresentação "O papel dos integrantes do SESMT segundo seus representantes", na qual os profissionais das entidades presentes expuseram sua atuação e dificuldades na luta pela prevenção de acidentes e doenças ocupacionais no Brasil.

"A criação do SESMT tem uma grande importância, primeiro porque deixou as coisas administrativamente mais fáceis; e segundo por trazer uma obrigação legal de se fazer SST", avaliou Jorge da Rocha Gomes, representante da Anamt.

Foto: Priscilla Nery

Fonte: Redação Revista Proteção